Em articulação com governo, Sistema S anuncia cursos para mulheres




A governadora em exercício Luciana Santos esteve, nesta terça-feira (19), na Casa da Indústria, para uma conversa com representantes do Sistema S, um desdobramento do primeiro fórum do Pernambuco Com Elas, realizado em setembro, dialogando com o setor produtivo. No encontro, foram apresentadas propostas de parceria para capacitação e geração de emprego e renda para as pernambucanas. Entre as ações já pactuadas, estão a realização de cursos de formação para programadoras e eletricistas.


A ideia é abrir vagas, ainda em dezembro, para que mulheres possam aprender programação de forma gratuita e, assim, se inserir na área de tecnologia, em que há carência de pessoal qualificado.


A diretora de Educação do Senai, Carla Abigail, anunciou ainda a decisão de intensificar a parceria já existente com o governo, e promover, já no início de 2020, um curso de seis meses para a formação de eletricistas mulheres. De acordo com ela, a iniciativa deve seguir modelo que foi implantado na Bahia, junto com a Neoenergia, e que ofereceu às mulheres a oportunidade de candidatar-se a postos de trabalho na área, que em sua maioria são tradicionalmente ocupados pelos homens.


“O Sistema S tem uma missão muito parecida com a nossa, no sentido da inclusão social. Por isso, pode nos ajudar a andar mais rápido no caminho do nosso objetivo de inserir a mulher a partir da perspectiva de trabalho e renda”, disse Luciana Santos.


O secretário de Trabalho, Emprego e Qualificação, Alberes Lopes, destacou que as mulheres são o maior público das qualificações realizadas pela pasta e citou como exemplo cursos recentes nas áreas de estética e beleza e alimentos e bebidas, como os de aplicação de unhas em gel e de boleiras. “Identificamos, nesses cursos e por meio da nossa agência de fomento, que as mulheres hoje estão empreendendo melhor que os homens. Conseguem administrar melhor o negócio”, apontou.


A secretária da Mulher, Sílvia Cordeiro, sugeriu uma série de medidas que poderiam ser colocadas em prática em parceria com o Sistema Fiepe, como estudos e pesquisas com recorte de gênero, capacitação de mulheres para gestão de negócios, destinação de vagas para aprendizagem e estímulo à participação feminina na indústria automotiva. “A gente não quer privilégio. As empresas têm que começar a compreender a força econômica do trabalho das mulheres”, defendeu.


Valéria Peregrino, diretora regional do Senac, destacou que as mulheres já são maioria entre os beneficiários dos serviços ofertados pela instituição. Elas também ocupam a maior parte dos cargos de gerência dentro do Sistema S.


"Bela descoberta saber que a maioria das superintendências é comandada por mulheres. Assim fica mais fácil ter o olhar focado para ver caminhos para promover a participação feminina, seja em programas como o Jovem Aprendiz ou em toda a rede do Sistema S, que envolve escolas de capacitação e formação, até o transbordo para o mercado de trabalho”, celebrou a governadora em exercício.


A Superintendente da Fiepe, Fernanda Mançano, colocou o sistema à disposição para entender as necessidades e definir em que frentes a instituição pode contribuir com o Pernambuco Com Elas.


“Temos como unir forças. A missão é a mesma, melhorar através da educação, capacitar, gerar renda. Mas vai além disso. Não é só geração de renda, você gera também dignidade. É nisso que temos que focar (...) Saímos daqui com a cabeça fervendo, com muitas possibilidades. Fico feliz com o engajamento e agora é partir para ações concretas”, declarou. Outras reuniões serão realizadas para avançar na ação conjunta.


Fotos: Diego Galba/VG

0 Comentários